Dia 12. Luz do Mundo

João 8:12 – “De novo, lhes falava Jesus, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas; pelo contrário, terá a luz da vida.”

Tentemos imaginar um mundo sem electricidade. Difícil, não é? A verdade é que até ao século 18 foi assim que o mundo viveu. Quando ficava de noite, era mesmo noite cerrada. O máximo que era possível ver, era iluminado por velas ou fogo, e a curta distância.

O mais perto que tive desta experiência foi caminhar na escuridão da minha casa, quando os meus filhos eram bebés, e tentar ir buscar alguma coisa ao quarto onde dormiam, sem os acordar. Um filme. Uma das vezes ia partindo uma perna ao deslizar numa peça de lego, e tantas outras vezes acabei por derrubar algo e dar um estrondo no meio do escuro. Depois do estrilho, dava comigo a paralisar no escuro, ouvi-los mexer na cama, não fazer barulho nenhum e esperar que continuassem a dormir. Sem iluminação, podemos até pensar que conseguimos chegar, mas tudo fica diferente, até os lugares que conhecemos bem.

Jesus apresenta-se como a luz do mundo. Ele é a luz que pode iluminar e trazer tudo à claridade. Durante a travessia do povo no deserto, lemos que Deus providenciou não só uma coluna de nuvem para o conduzir durante o dia, mas também uma coluna de fogo que iluminava durante a noite, e permitia que viajassem durante esse período, se assim fosse necessário. Deus era, claramente, a luz física que o povo necessitava, simbolizando a dependência e a urgência de que todos temos de condução divina.

Hoje temos electricidade, mas vivemos num mundo de trevas. A Bíblia descreve os pecadores como os que “deixam as veredas da retidão, para andarem pelos caminhos das trevas;” – Provérbios 2:13. Precisamos da luz de Jesus. Só com ele caminhamos na luz e vivemos na luz, e mais: tornamo-nos também nós reflexo dessa iluminação. Por onde os cristãos passam, reflectem a luz de Jesus e trazem claridade onde há trevas, trazem esperança onde há desespero, trazem amor onde há amargura.  

Mateus 5:14-16 – “Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; nem se acende uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos os que se encontram na casa.
Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus.”