Dia 13. Semente da mulher

Génesis 3:14-15 – “Então, o Senhor Deus disse à serpente: Porquanto fizeste isso, maldita serás mais que toda besta e mais que todos os animais do campo; sobre o teu ventre andarás e pó comerás todos os dias da tua vida. E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente: esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.”

Gálatas 4:4 – “mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher”

Imaginemos o Jardim do Éden, um homem e uma mulher num mundo perfeito sem problemas, sem doença, com tudo o que necessitavam. E, ainda assim, conseguem encontrar espaço nos seus corações para desejar ainda mais. O pecado entra no mundo, apenas e só porque escolheram dar ouvidos à serpente; Deus aparece para confrontar e trazer julgamento. Apesar de tudo parecer arruinado, Deus traz logo naquele instante uma palavra de esperança, garantindo que apesar de toda a adversidade que irá passar a existir, existirá também um triunfo final. A ilustração é esta: haverá um esmagamento da cabeça da serpente, pela semente da mulher, ao passo que a semente da mulher será ferida no calcanhar.

O capítulo 4 de Génesis relata imediatamente o prolongamento do pecado, no seu pior:  Caim mata o seu irmão Abel por inveja. E conforme o mundo continua a ser mundo, cenas destas tornam-se mais do que comuns, parecendo que a promessa de triunfo final é continuamente colocada em risco.

Uma das coisas espantosas quando lemos o Velho Testamento, é a forma constante como o povo se esquece e desautoriza Deus, se coloca em situações de escravidão, idolatria, desobediência, fome, e de como Deus vai continuamente ao seu encontro, assegurando a descendência que ele garantiu que traria salvação. São muitos os momentos em que vemos uma intencionalidade clara de extinguir a continuidade da semente: desde o Faraó no Egipto que ordena que todos os bebés sejam mortos, passando por Hamã na Pérsia, determinado a exterminar os judeus, a Golias o gigante filisteu, e também o Rei Herodes, que ao saber do nascimento do Messias, manda matar todos os bebés, são inúmeras as tentativas de homens em desafiar Deus. Como se Deus pudesse ser desafiado e o seu plano forjado.

É claro que sabemos que a semente da mulher chegou. O nosso Redentor nasceu do ventre de Maria e veio viver no meio de nós, entregando-se a um fim que soava pouco a vitória. Mas enquanto os seus inimigos escarneciam e zombavam, a semente da mulher esmagava a cabeça da serpente, de uma vez por todas. A serpente já foi esmagada. Sim, ainda existe mal no mundo. Mas a semente da mulher já veio e morreu a nossa morte. Temos vida e vida eterna.